O refúgio da preguiça

Na Rota Ecológica de Alagoas, um dos destinos mais charmosos e ainda pouco conhecidos do litoral brasileiro, parece que tudo funciona só para te agradar. Além da hospedagem ímpar, 40 quilômetros de praias de mar esverdeado, poucas ondas e muitos recifes de corais que formam piscinas naturais esperam o turista que se aventura por ali.

A rota começa a cerca de 100 quilômetros ao norte de Maceió. Vai de Barra do Camaragibe até Japaratinga, passando pelos povoados de São Miguel dos Milagres, Porto de Pedras e Porto da Rua. É o trecho mais interessante da chamada costa dos Corais. A região ficou bem preservada por conta da rodovia costeira AL-101, que aqui se desvia para o interior do Estado, dificultando o acesso e protegendo a orla da invasão do turismo de massa.
Ou seja: mesmo em alta temporada, as praias permanecem semidesertas.
O importante é saber, antes de pegar o rumo do aeroporto, que praia e pousadas são praticamente todas as atrações deste destino. Há poucos restaurantes na região — e até por isso quase todas as pousadas oferecem meia-pensão – e nenhum divertimento noturno além da lista de dvds que costumeiramente se empresta para os hóspedes. “A gente vende o direito à preguiça”, diz Nilo, proprietário da pousada do Toque.


As pousadas fazem o estilo simplicidade chique. Têm pouquíssimos quartos (e neles há desde camas confortáveis e um bom chuveiro até ofurô e jardim interno), com restaurantes gostosos e sem outros atrativos como academias.

Passeios

Para quem se cansa de descansar, muitas pousadas emprestam bicicletas para passear, o que vale muito a pena para quem está em São Miguel dos Milagres.

Outro costume é contratar jangadeiros para levar os hóspedes às piscinas naturais (R$ 20, em média). Há ainda a visita, geralmente feita de buggy, que sai de São Miguel dos Milagres e vai até a praia do Morro, na ilha da Croa, deserta e cheia de coqueiros.


O Projeto Peixe-Boi é o grande barato de quem vai até o rio Tatuamunha, no povoado de mesmo nome. Nina, a primeira fêmea de peixe-boi encontrada em uma praia brasileira e reintroduzida ao meio ambiente, vive por lá.
Fonte: http://blog.voegol.com.br/index.php/plano-de-voo/dicas-viagens-e-destinos/o-refugio-da-preguica/

Porto de Pedras, município alagoano, com construções antigas que lembram as disputas entre Portugal e Holanda. Parte dessa época, ainda preservada, como a antiga Cadeia Pública, de 1630, faz parte do acervo arquitetônico do Patrimônio Histórico, Artístico e Natural de Alagoas, aguardando restauração, para que se torne um museu.

Um dos pontos turísticos de Porto de Pedras é o Farol, construído em 1940, encostado no morro de onde vem o nome. A vista panorâmica é belíssima.
Abriga duas praias abençoadas pela natureza e preservadas pelo homem: Praia de Tatuamunha e Praia do Patacho, quase intocadas e de imensa beleza.

Fonte: patachobrasil.wordpress.com/

Mar claro, mil coqueiros e absoluto sossego já seriam atrativos suficientes. Mas Patacho tem muito mais. Se a maré atinge seu nível mais baixo, haja fôlego. Os recifes ficam ainda mais à mostra, assim como longos e largos trechos de areia. Resultado: caminha-se quilômetros “mar” adentro e mal dá pra acreditar que dali a poucos instantes aquele exato lugar será novamente ocupado pela água. A maré seca também dá outro presente: pequenas lagoas rasas e mornas, tão convidativas que é impossível ignorar o ímpeto infantil de esticar o corpo em alguma delas e sentir-se, finalmente, em modo off.
Praticamente deserta, a praia mais bonita da Costa dos Corais tem um coqueiral de encher os olhos e mar esverdeado pra lá de cristalino. É preciso alguns instantes para acreditar, por inteiro,que a paisagem é real.

Uma piscina natural se forma próxima à praia na maré baixa. O percurso de barco leva 15 minutos – e o deleite nas águas mornas pode durar horas.
Na maré baixa, quando o mar se recolhe deixando uma extensa faixa de areia. É preciso consultar a tábua de marés para programar a visita (as pousadas sabem informar).

Tempo de visita
Como não há barracas, bares ou restaurantes, fica difícil passar o dia todo aqui. Traga um guarda-sol e um lanchinho.

Quando ir
Há sol o ano todo, mas costuma chover mais nos meses de maio e junho. Visite na maré baixa.

Serviço

A Praia do Patacho pertence ao município de Porto de Pedras, e fica a 10 km de São Miguel dos Milagres. Não há indicação na pista, mas uma boa dica para quem vem do centro de São Miguel é virar à direita logo após passar por uma praça com uma estátua do Padre Cícero. É preciso pegar uma estradinha que avança pelo meio de um coqueiral até chegar à orla deserta. Com chuva, o acesso fica intransitável

E melhor, tudo isso á menos de 30 KM de Maragogi
Fonte http://viajeaqui.abril.com.br/estabelecimentos/br-al-sao-miguel-dos-milagres-atracao-praia-patacho

Anúncios

Vamos lá, deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s